“As cidades pedem socorro e repensar o Brasil é preciso” – Carta Capital

Um pedaço do inferno, aqui é onde eu estou (Mano Brown, Homem na Estrada)

Concentração-de-EmpregoCORTADAO Brasil passa por uma crise política, econômica, social e ambiental. Mas talvez seja nas cidades que essa crise alcance o maior nível de dramaticidade dado o número de brasileiros que são profundamente afetados por ela. Dos 207 milhões de habitantes, mais de 84%, ou 175 milhões, mora nas cidades. Quase 1/3 desse total mora nas grandes metrópoles. O desemprego que chegou a 12,3% da população economicamente ativa brasileira (24 milhões de pessoas) é maior em 13 capitais. A taxa nacional de homicídios alcançou 27,1 (pessoas mortas para cada 100 mil habitantes) mas nas capitais é ainda maior (36,4) e nos bairros pobres maior ainda.

Acesse o restante aqui: https://www.cartacapital.com.br/blogs/br-cidades/as-cidades-pedem-socorro-e-repensar-o-brasil-e-preciso/

Book: Urban Latin America: Part 2: Planning Latin American Cities: Dependencies and “Best Practices”

Issue #213 Mar 2017 Volume 44-2

Angotti and Irazábal – Intruducion

Maricato – The future of global peripheral cities

Valenzuela – Private Poduction of Social Housing in Mexico

Franz – Urban Governance and Development in Medellín 

Sotomayor – Urban Policy in Medellín

Hunt – Bogotá’s Transmilenio

Montero – Worlding Ciclovía

Friendly – Urban Policy and Social Movements in Brazil

Albert – Power and Citizen Participation in Santo André

Koch and Sánchez – Participation without Power in Barraquilla

Sosa – Mobility and Politics in Mexico City

 

Inglês

Book: Urban Latin America: Part 2: Planning Latin American Cities: Dependencies and “Best Practices”

Issue #213 Mar 2017 Volume 44-2

Angotti and Irazábal – Intruducion

Maricato – The future of global peripheral cities

Valenzuela – Private Poduction of Social Housing in Mexico

Franz – Urban Governance and Development in Medellín 

Sotomayor – Urban Policy in Medellín

Hunt – Bogotá’s Transmilenio

Montero – Worlding Ciclovía

Friendly – Urban Policy and Social Movements in Brazil

Albert – Power and Citizen Participation in Santo André

Koch and Sánchez – Participation without Power in Barraquilla

Sosa – Mobility and Politics in Mexico City

 


 

 

Book: Urban Latin America: Inequalities and Neoliberal Reforms (Latin American Perspectives in the Classroom)

Tom Angotti (editor)
Rowman & Littlefield17/08/2017

LABHAB 20 anos

O LABHAB – Laboratório de Habitação e Assentamentos da FAUUSP completa 20 anos! Para comemorar foram lançados os Cadernos do LABHAB com 2 livros editados pela Annablume – dos Professores Tom Angotti (do Pratt Institute de Nova Iorque) e do José Baravelli (FAUUSP) e foi realizada uma mesa redonda no IAB-SP com ambos autores.
Não quero deixar de reconhecer a importância do trabalho do grupo de professores reunidos atualmente no LABHAB. Trata-se de um time de craques. Mas além de muito competentes e produtivos eles mantém uma postura política que dignifica a USP e o meio universitário de um modo geral. Combinam ensino/pesquisa e extensão de uma forma rara na academia sempre visando ampliar o papel social da universidade pública. São muito estimados pelos alunos devido ao respeito e dedicação que que lhes devotam e a postura ética que assumem. Fazem um trabalho que é relativamente pouco divulgado pelo grupo. Não são competitivos e nem colocam seus egos acima (o que é muito comum na universidade) do interesse coletivo.
Ontem participei de uma reunião do Labhab com os grupos de estudantes da FAUUSP que fazem extensão e pude constatar a importância que essa prática está assumindo contribuindo para aproximar a universidade da realidade espacial e social.
Minhas homenagens ao nosso time de acadêmicos militantes : João Whitaker, Karina Leitão (que organizaram os eventos), Maria Lucia Refinetti Martins, Camila Otavianno, Caio Santo Amore, Luciana Royer, Eduardo Nobre, Beatriz Ruffino, Jorge Bassani. Se esqueci alguém voltarei a escrever.
Segue o vídeo da mesa redonda no IAB gravado por Carina Serra.

Melancolia na desigualdade urbana

A vida urbana, principalmente nas grandes metrópoles, tem revelado um alto grau de desencanto e solidão. Ao invés das cidades serem espaços de convivência e socialização, as más condições de moradia, a dificuldade de mobilidade e a ausência de espaços de lazer parecem estar levando seus cidadãos a um estado de melancolia coletiva.

Café Filosófico CPFL _16/04