HOJE! PRAÇA DA SÉ | 16hs

PORQUE VAMOS ÀS RUAS HOJE?

IMG_9302

A agenda do congresso nacional (Projetos de Lei que lá estão esperando uma “brecha” para votação) mostra o interesse das forças conservadoras e antidemocráticas: redução da maioridade penal, mudança no estatuto do desarmamento, diminuição de direitos trabalhistas, autonomia do congresso para demarcação de terras indígenas, privatização do pré sal, autonomia do Banco Central (os donos do dinheiro querem mais independência apesar de ganharem, com juros, neste ano, mais de R$ 530 bilhões!!!!!!) São PLs que, somados a outros tentam atacar os direitos dos trabalhadores, homossexuais, mulheres, meio ambiente, segurança alimentar, soberania nacional, políticas sociais…

A defesa do mandato de Dilma contra quem não pesa crimes provados – #impeachmantsemcrimeégolpe – e se pedaladas são crimes temos que levar o impedimento a boa parte dos governos do país –  significa a defesa da democracia. Significa fechar a porteira pela qual os ataques aos direitos, listados acima, tentarão passar. Estamos descontentes com o governo, mas isso não é motivo para apoiar um golpe na nossa frágil e importante democracia. Além do mais, os que conduzem o processo de impeachment não tem autoridade moral ou legal para fazê-lo.

Entretanto, se o golpe acontecer, não vamos nos acomodar. Cada um de nós vai encontrar forças onde nem sabia que tinha para não deixar a noite escura nos envolver. Quanto mais avançarmos agora mais fácil será apoiar ou pressionar o governo, no futuro, para tomar novos rumos, qualquer que seja esse governo. Somos muitos! Isso está provado (Recife fez a maior manifestação de sua história contra o golpe!).  Converse com qualquer pessoa que esteja desinformada desde que não sejam os violentos fascistas açulados pela Globo. Argumente, ouça pacientemente. O senso comum não pode derrotar o pensamento científico (dados sobre a realidade), mas precisamos evitar violência que é o que muitos querem.

Vamos fazer uma grande manifestação de pessoas solidárias, generosas, democráticas, humanistas, socialistas, ecologistas…