HOJE! PRAÇA DA SÉ | 16hs

PORQUE VAMOS ÀS RUAS HOJE?

IMG_9302

A agenda do congresso nacional (Projetos de Lei que lá estão esperando uma “brecha” para votação) mostra o interesse das forças conservadoras e antidemocráticas: redução da maioridade penal, mudança no estatuto do desarmamento, diminuição de direitos trabalhistas, autonomia do congresso para demarcação de terras indígenas, privatização do pré sal, autonomia do Banco Central (os donos do dinheiro querem mais independência apesar de ganharem, com juros, neste ano, mais de R$ 530 bilhões!!!!!!) São PLs que, somados a outros tentam atacar os direitos dos trabalhadores, homossexuais, mulheres, meio ambiente, segurança alimentar, soberania nacional, políticas sociais…

A defesa do mandato de Dilma contra quem não pesa crimes provados – #impeachmantsemcrimeégolpe – e se pedaladas são crimes temos que levar o impedimento a boa parte dos governos do país –  significa a defesa da democracia. Significa fechar a porteira pela qual os ataques aos direitos, listados acima, tentarão passar. Estamos descontentes com o governo, mas isso não é motivo para apoiar um golpe na nossa frágil e importante democracia. Além do mais, os que conduzem o processo de impeachment não tem autoridade moral ou legal para fazê-lo.

Entretanto, se o golpe acontecer, não vamos nos acomodar. Cada um de nós vai encontrar forças onde nem sabia que tinha para não deixar a noite escura nos envolver. Quanto mais avançarmos agora mais fácil será apoiar ou pressionar o governo, no futuro, para tomar novos rumos, qualquer que seja esse governo. Somos muitos! Isso está provado (Recife fez a maior manifestação de sua história contra o golpe!).  Converse com qualquer pessoa que esteja desinformada desde que não sejam os violentos fascistas açulados pela Globo. Argumente, ouça pacientemente. O senso comum não pode derrotar o pensamento científico (dados sobre a realidade), mas precisamos evitar violência que é o que muitos querem.

Vamos fazer uma grande manifestação de pessoas solidárias, generosas, democráticas, humanistas, socialistas, ecologistas…

Anúncios

PORQUE VAMOS À RUA NESTE 31 DE MARÇO

IMG_9302

DIA 31 DE MARÇO | 16hs | PRAÇA DA SÉ

A agenda do congresso nacional (Projetos de Lei que lá estão esperando uma “brecha” para votação) mostra o interesse das forças conservadoras e antidemocráticas: redução da maioridade penal, mudança no estatuto do desarmamento, diminuição de direitos trabalhistas, autonomia do congresso para demarcação de terras indígenas, privatização do pré sal, autonomia do Banco Central (os donos do dinheiro querem mais independência apesar de ganharem, com juros, neste ano, mais de R$ 530 bilhões!!!!!!) São PLs que, somados a outros tentam atacar os direitos dos trabalhadores, homossexuais, mulheres, meio ambiente, segurança alimentar, soberania nacional, políticas sociais…

A defesa do mandato de Dilma contra quem não pesa crimes provados – #impeachmantsemcrimeégolpe – e se pedaladas são crimes temos que levar o impedimento a boa parte dos governos do país –  significa a defesa da democracia. Significa fechar a porteira pela qual os ataques aos direitos, listados acima, tentarão passar. Estamos descontentes com o governo, mas isso não é motivo para apoiar um golpe na nossa frágil e importante democracia. Além do mais, os que conduzem o processo de impeachment não tem autoridade moral ou legal para fazê-lo.

Entretanto, se o golpe acontecer, não vamos nos acomodar. Cada um de nós vai encontrar forças onde nem sabia que tinha para não deixar a noite escura nos envolver. Quanto mais avançarmos agora mais fácil será apoiar ou pressionar o governo, no futuro, para tomar novos rumos, qualquer que seja esse governo. Somos muitos! Isso está provado (Recife fez a maior manifestação de sua história contra o golpe!).  Converse com qualquer pessoa que esteja desinformada desde que não sejam os violentos fascistas açulados pela Globo. Argumente, ouça pacientemente. O senso comum não pode derrotar o pensamento científico (dados sobre a realidade), mas precisamos evitar violência que é o que muitos querem. 

Vamos fazer uma grande manifestação de pessoas solidárias, generosas, democráticas, humanistas, socialistas, ecologistas… 

Mídia internacional denuncia golpe e manipulação midiática


Glenn Greenwald, jornalista escolhido por Edward Snowden para revelar ao mundo a espionagem do governo americano, publicou uma fortíssima denúncia contra a tentativa de golpe em curso no Brasil.

THE INTERCEPT (Estados Unidos): Brazil Is Engulfed by Ruling Class Corruption and a Dangerous Subversion of Democracy 

Entrevista de Gleen Greenwald para o Democracy Now


 

PUBLICO (Portugal): A justiça partidária e o limiar do golpe no Brasil – Publico – Portugal

DER SPIEGEL (Alemanha): Golpe frio no Brasil

THE ECONOMIST (Inglaterra):  Juiz Moro pode ter ido longe demais 

AL JAZEERA (Emirados Arábes): The Listening Post (Full) – Dilma Rousseff’s Watergate

EL PAÍS (Espanha): O Brasil perante o abismo

THE HUFFINGTON POST (Estados Unidos): Os deslizes do juiz Sérgio Moro

CEPAL: CEPAL manifesta preocupação diante de ameaças à democracia brasileira

ONU: Escritório de Direitos Humanos da ONU afirma preocupação com contexto político brasileiro

THE WIRE (India): A Coup is in the Air: The Plot to Unsettle Rousseff, Lula and Brazil

LE FIGARO (França):  Brésil : indignation après la publication d’une écoute téléphonique entre Rousseff et Lula

BBC NEWS (Estados Unidos): Brazil crisis: There may be bigger threats than Rousseff’s removal

LOS ANGELES TIMES (Estados Unidos): The politicians voting to impeach Brazil’s president are accused of more corruption than she is

THE WASHINGTON POST (Estados Unidos): How the release of wiretapped conversations in Brazil threatens its democracy

Manifesto de intelectuais estrangeiros: BRAZILIAN DEMOCRACY IS SERIOUSLY THREATENED

Manifesto de professores da FAU-USP em favor da legalidade e da democracia

20100302fau004

Manifesto de professores da FAU-USP em favor da legalidade e da democracia

 

Na qualidade de docentes e profissionais de Arquitetura e Urbanismo comprometidos com cidades e sociedades mais justas, não podemos tolerar que nossas instituições democráticas, construídas sob décadas de lutas sociais, a começar pela Constituição de 1988, sejam desmanchadas num crescente processo de embrutecimento do país.

Nesses termos subscrevemos com nossos colegas da EACH a manifestação que afirma nossa posição em defesa do Estado Democrático de Direito:

Ao mesmo tempo em que nos solidarizamos com a população indignada com as denúncias de corrupção que se sucedem há anos em nosso país, surgidas a cada nova investigação conduzida pelos poderes Judiciário e Legislativo – e que envolvem praticamente todos os principais partidos políticos – ressaltamos a importância de que o trabalho de investigação observe o devido processo legal, respeite garantias individuais e preserve as instituições e valores democráticos, tão duramente conquistados pela sociedade brasileira.

Repudiamos o enviesamento da cobertura midiática, pautada pela espetacularização dos fatos e pela tentativa de imputar culpabilidade antes das apurações e do amplo direito de defesa. Condenamos, portanto, a prática de vazamentos seletivos à imprensade informações relativas às investigações, os quais ao fim e ao cabo resultam no progressivo esfacelamento da imagem de nossas instituições perante a opinião pública.

Preocupa-nos o clima de convulsão social, agravado a cada minuto. A legalidade e a democracia devem ser preservadas a todo custo, e não é admissível que a mídia, organizações da sociedade civil ou os diferentes movimentos que ocupam as ruas tomem para si o exercício da aplicação da justiça.

Chamamos a atenção para o imperativo da manutenção das garantias constitucionais, para a necessidade de construção do diálogo e para a importância de que todos os agentes públicos trabalhem pela efetivação dos preceitos previstos na Carta Magna promulgada em 1988.

 

Assinam este documento:

Alvaro Puntoni

Ana Barone

Ana Castro

Ana Lanna

Angelo Filardo

Antonio Carlos Barossi

Beatriz Rufino

Caio Santo Amore

Camila D’Ottaviano

Catharina Pinheiro

Eduardo Nobre

Erminia Maricato

Eugênio Queiroga

Fábio Mariz Gonçalves

Flávia Brito

Flávio Villaça

Gil Barros

Giselle Beiguelman

Guilherme Wisnik

Joana Melo

João Meyer

João Whitaker

Jorge Bassani

José Lira

Karina Leitão

Khaled Ghoubar

Klara Kaiser

Leandro Medrano

Luciana Royer

Luiz Recaman

Marcos Braga

Maria Cecília França Lourenço

Maria Cristina da Silva Leme

Maria de Lourdes Zuquim

Maria Lucia Refinetti Martins

Mário Henrique D’Agostino

Nilce Aravecchia Botas

Nilton Ricoy

Nuno Fonseca

Paula Santoro

Paulo Cesar Xavier Pereira

Raquel Rolnik

Reginaldo Ronconi

Rosana Miranda

Tatiana Sakurai

Vera Pallamin

Vladimir Bartalini

 

NOTAS E MANIFESTOS DAS ULTIMAS SEMANAS

20/08/2015- São Paulo- SP, Brasil- Manifestação contra o impeachment de Dilma, na avenida Paulisa, em São Paulo. Foto Paulo Pinto/Agencia PT

20/08/2015- São Paulo- SP, Brasil- Manifestação contra o impeachment de Dilma, na avenida Paulisa, em São Paulo. Foto Paulo Pinto/Agencia PT

SOMOS MUITOS!

Vejam numerosas manifestações de entidades da sociedade brasileira pela democracia e contra o golpe: religiosos, cientistas, professores, pesquisadores, governadores, trabalhadores operários, movimentos sociais, arquitetos, geógrafos, economistas, planejadores, profissionais da saúde, evangélicos, jornalistas, artistas e intelectuais, movimento negro, movimento LGBT, músicos, juristas, entre muitos outros . . .

 


 (atualizado em 28/03/2016)